143 empresas nasceram no distrito em janeiro
in

143 empresas nasceram no distrito em janeiro

Foram criadas duas sociedades no concelho de Ferreira do Zêzere

Segundo a Nersant, em janeiro, foram criadas 143 empresas no distrito de Santarém. e à semelhança do que aconteceu no último trimestre do ano passado, a capital de distrito voltou a ser o concelho que maior número de sociedades criou, com 31 projetos empresariais criados.

A dinâmica dos empresários e empreendedores da região continua a ser digna de nota no ano de 2018, onde se verificou uma intensificação no que diz respeito à criação de empresas.

De acordo com os dados obtidos pela Nersant, o mês de janeiro superou a média dos últimos três meses – que ronda as 60 sociedades criadas por mês – no que diz respeito à criação de entidades.

De acordo com os dados, só em janeiro, foram criadas no distrito de Santarém 143 sociedades, sendo que 21,7% das mesmas – 31 – têm sede em Santarém, que continua assim, à semelhança dos últimos meses do ano, a ser o concelho que maior número de empresas cria.

Ainda quanto à localização do investimento, referência para o concelho de Ourém, com 23 sociedades criadas, Benavente, com 12 e Salvaterra de Magos, com 10.

Apenas a um dígito, seguem-se os concelhos de Almeirim e Torres Novas, com 9 sociedades criadas cada um, Cartaxo, com 8 sociedades criadas e Abrantes e Coruche, com 7 sociedades criadas em cada um dos concelhos.

Tomar criou 6 sociedades, Rio Maior, 5, e Chamusca, Entroncamento e Golegã, 3 sociedades cada concelho.

Ferreira do Zêzere criou duas sociedades no concelho em janeiro, sendo que no final da tabela, com apenas uma única sociedade criada, ficaram os concelhos de Alpiarça, Constância, Mação, Sardoal e Vila Nova da Barquinha.

Alcanena não criou, no período analisado, nenhuma sociedade.

Quanto ao CAE das sociedades criadas, destaque para a construção de edifícios (residenciais e não residenciais) (10), manutenção e reparação de veículos automóveis (6), culturas de produtos hortícolas, raízes e tubérculos (5), transportes rodoviários de mercadorias (5), outras atividades de consultoria para os negócios e a gestão (5), comércio por grosso não especializado (4), atividades de mediação imobiliária (4), outras atividades de consultoria, científicas, técnicas e similares, n.e. (4), atividades de prática médica de clínica geral, em ambulatório (4), atividades dos serviços relacionados com a agricultura (3), comércio a retalho em outros estabelecimentos não especializados, com predominância de produtos alimentares, bebidas ou tabaco (3), restaurantes tipo tradicional (3), atividades de programação informática (3), atividades de engenharia e técnicas afins (3), atividades das agências de viagem (3) e outras atividades de saúde humana, n.e. (3).

Relativamente à forma jurídica das sociedades, continuam a predominar as Sociedades Unipessoal por Quotas (82), seguindo-se as Sociedades por Quotas (55), as Associações (5) e, por fim, as Sociedades Anónimas (1). Quanto ao capital social, destaque para as sociedades criadas com 5.000 euros (38), seguindo-se as criadas com 1000 euros (32), 500 euros (14), 2000 euros (12), 10.000 euros (6) e, note-se, 125.000 euros (5).

Os promotores dos negócios continuam a ser maioritariamente do sexo masculino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Futsal: Sporting de Braga é o próximo adversário na Taça de Portugal

Futsal: Sporting de Braga é o próximo adversário na Taça de Portugal

A chuva tardou, mas está aí. E vai vir com intensidade!

A chuva tardou, mas está aí. E vai vir com intensidade!